Desenhos

Eu queria tanto saber desenhar. Durante uma aula chata é um ótimo momento para desenhar não?! Deixar a mente vaguear para este mundo criado e desenhado. Me sinto um pouco culpada por isso. Deveria estar prestando atenção na aula. Mas quando os nomes das plantas começam a formar outras imagens na sua cabeça e quando a professora fala você só entende aquela língua medieval muito antiga que se perdeu no meio dos livros, você percebe que não dá mais pra você entender. Se eu soubesse desenhar quem sabe talvez as coisas ficassem mais interessantes e eu conseguisse desenhar o que deveria aprender e prestar um pouco mais de atenção.
Engraçado, sempre quis ser uma estilista, mas sempre desenhei horrorosamente. Fora que meu senso de moda é horrível. Não sei como me tornaria uma estilista nestas condições. Me lembro de uma colega que sabia desenhar muito bem e sempre que mandávamos cartas uma pra outra as dela vinham com muitos desenhos diferentes. Tentava também, mas todas as tentativas eram falhas e meus queridos modelos e criações não passavam de “bonequinhos de palito”.
Não entendo. Um desenho não é nada mais que muitas retas e pontinhos juntos. Não deveria ser difícil. É só alinhá-los. Mas parece que quando faço isso, quando coloco todas elas juntas elas são enfeitiçadas e vivem por elas mesmas, decidindo que não querem me obedecer. Causam uma revolução no mundos das linhas e tomam caminhos diferentes daqueles planejados para elas. Aí perco o controle da minha sociedade e quase tenho que renunciar o poder. Em parte. Elas não sabem que posso a qualquer momento. mudar completamente o rumo de tudo. Mas aí elas se rebelam de novo. é um ciclo sem fim. Não tenho uma moral grande o suficiente para impedir que elas se rebelem, então para evitar que toda a minha cidadezinha criada vá por água a baixo eu evito tomar o poder sobre ela. Sempre que posso. Infelizmente. As aulas passariam mais rapidamente se eu conseguisse domar as ferinhas que saem quando tento desenhar.
Ás vezes tenho que apelar para medidas mais drásticas. Quando as ferinhas saem muito do controle tenho que colocar minha grande e poderosa aliada borracha em ação. Muitos daqueles que controlam as feras não precisam dela mais. Mas eu ainda mantenho nossa aliança. A borracha vem, toda destemida e acaba com aquele grupo que está completamente fora da linha, tentando colocá-los na direção certa. Elas choram e tentam resistir, mas infelizmente já é tarde demais e elas são separadas e levadas para outra parte do papel. Todos sentimos muito. Por isso evito o desenho. Acho muito cruel soltar todas as ferinhas para depois ver que não consigo cuidar delas e tenho que tirá-las de suas casas. Eu sei como elas amam o papel, mas seria pior se elas continuassem lá, infelizes e se sentindo rejeitadas. Uma hora todos partem…
Ops acho que a professora acabou a aula. E ainda não domei as feras, ainda não aprendi a desenhar.
  
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s