Quarto

A Luz da Lua entra pela janela
De repente o quarto já não está escuro
Quem sou eu?
Além de flashes momentâneos 
De escuridão e luz
Sou o quarto vazio
Despido em si mesmo
Ora dia, ora noite
Ora trevas, ora luz
Sou um paradoxo ambulante
Preso em quatro cantos
As paredes esperam a tinta
E eu espero a vida
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s