Princesa Adormecida – Paula Pimenta (Resenha)

Um dia e 189 páginas depois eu tinha terminado de ler o livro da escritora que me fez passar tantas noites em claro fazendo filmes com ela no começo da minha juventude. Hoje, já me deparando com minha segunda década de vida terminando e me acenando um adeus, me senti a jovem sonhadora e romântica de tantos anos atrás. É assim que a Princesa Adormecida te faz sentir, como se você voltasse aos seus anos de mocidade e as flores das jovens primaveras desabrochassem para que você sentisse seus perfumes mais uma vez. Sempre fui muito ligada aos contos de fadas e às princesas que encontravam aventuras, independência e principalmente amor. Reler uma história assim hoje me conectou com sentimentos a muito adormecidos e entre os corações e as flores que saíam das páginas do livro, vivi outra aventura de arrancar suspiros.

O livro conta a história de Anna Rosa, uma menina que mora com os tios superprotetores e que estuda em um internato só para meninas (no Brasil, detalhe). Desde pequena ela escuta de seus tios, seus melhores amigos, que havia sofrido uma ameaça de sequestro quando criança e por isso tinha que viver separada de seus pais. Mas Anna nunca acreditou de verdade. Depois de tantas vezes contada, essa história acabou se transformando exatamente nisso: em uma história. Ela passou a viver pensando que seus tios tinham inventado essa mentirinha e de tão envergonhados a fizeram prometer que jamais contaria para ninguém. Até aí tudo bem, ela tinha cumprido a promessa. Só que toda garota de 16 anos passa por uma coisa que abala seu mundo e muda completamente seu jeito de ver a vida e a si mesma. Essa coisa se chama se apaixonar por alguém. E quer algo que mexe mais com a gente do que esse danado do amor?

O problema é que como Anna Rosa nunca tinha convivido com garotos antes, o primeiro  vislumbre de atenção já era motivo para tirar noites de sono e a deixar pensativa e sonhadora. Nesse caso ela conhece o príncipe encantado, o amor dos sonhos dela, a metade da sua laranja pelo celular. Sério, não é brincadeira, ele manda uma mensagem, em francês, super cantando ela e magicamente, sem nenhuma suspeita ou desconfiança, ela o entrega seu coração. Ela nunca se perguntou como ele conseguiu o número dela (eu me perguntei over and over again enquanto lia), mas pela falta de vivência e experiência dela isso é até explicável. Assim, por muitos dias, as mensagens vem e vão e o sentimento entre eles só cresce. Ela se apaixona pelo garoto, eles trocam telefonemas e passam muitas madrugadas em claro conversando. Ele até parecia apaixonado por ela também o que desperta em Anna uma vontade louca de jogar tudo para o alto e contar a Phil todos os detalhes de sua vida. Mesmo sabendo que seus tios nunca a perdoariam por isso ela decide revelar algumas informações sobre sua vida e é aí que a porca torce o rabo. Ela acaba descobrindo a verdadeira versão de sua história de um jeito doloroso demais para seu corpo e seu coração.

Princesa Adormecida pertence à série das princesas modernas da Paula Pimenta e é aquele tipo de livro que você lê durante a ressaca literária. É uma história muito fofa, os personagens são fáceis de relacionar com nosso eu adolescente e realmente lembramos de nossos anos de mocidade esperançosos e sonhadores. A escrita da autora não tem subjetividades nem metáforas, o que torna a leitura fluida e dinâmica a ponto do tempo passar em um minuto. A narração das conversas entre Anna e Phil são todas em formato de mensagens de celular e já começamos o livro sabendo sua verdadeira história, contada através de recortes de reportagens de jornal, o que deixa o livro com cara de diário e ainda mais pessoal. O desfecho é bem previsível e não é pela vontade de ler um final diferente, misterioso e fora da curva que te faz ler o livro porque se começar com essa expectativa você irá se decepcionar, vai por mim.

A história é uma releitura da Bela Adormecida nos dias atuais e você até consegue ver vários elementos da narrativa original, mas as situações são extremamente irreais para acontecerem no nosso mundo, então fica um pouco difícil enxergar a realidade nele. Por isso, a história realmente é um conto de fadas em todos os sentidos da expressão, além de ter um mágico “e viveram felizes para sempre” no final. Mas (choquem) tem um plot twist no fim, que eu suspeitei os primeiros capítulos, mas que gostaria muito de não ter acertado. Contudo, a história não é muito profunda nem reflexiva, é o tipo de livro que te faz esquecer de seus problemas e viajar de volta alguns anos.

Muitos de vocês já se acham crescidinhos para esse tipo de leitura, mas não sabem que é assim que ativamos memórias lindas de nosso crescer e nos conectamos a partes de nós que nem lembrávamos que existiam. Entrar em sintonia com a nossa criança (nesse caso adolescente interna) é sempre um processo de aprendizado, doçura e certamente boas risadas. É como um copo de limonada gelada em uma tarde quente de verão, refrescante.

Infos lindas que você vai precisar ❤paulapimentaprincesaadormecida

PRINCESA ADORMECIDA

Paula Pimenta

Ano: 2014

Páginas: 92

Editora: Galera Record

Onde comprar: Saraiva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s